Licenciaturas

A Licenciatura em Estudos Orientais – Estudos Chineses e Japoneses (EO-ECJ) da Universidade do Minho pretende dotar os seus estudantes com competência linguística, capacidade comunicacional e sensibilidade cultural que lhes permitam agir em todas as áreas e atividades profissionais que tenham relação com os mundos chinês e japonês, num estabelecer de pontes com estas sociedades.

A formação dos alunos terá como núcleo duro da sua aprendizagem as línguas de referência, Chinês (major) e Japonês (minor), línguas de trabalho e aquisição, pelo que no plano curricular constatar-se-á uma forte incidência do tempo de trabalho nestas áreas. Neste sentido, sendo que se considera a competência linguística por si só insuficiente, deve fornecer-se igualmente aos alunos uma série de conhecimentos e sensibilidades no sentido de os enriquecer com uma adequada capacidade comunicacional contextuada, o que justifica a existência de unidades curriculares ligadas às geografias, histórias, culturas, filosofias, entre outras, de ambos os países. Devido não só à distância entre as línguas e culturas em questão e a nossa, como também à consequente especificidade deste curso, os conhecimentos veiculados deverão ser sempre aprofundados em sede de 2º ciclo. Assim, o maior interesse dos alunos tem vindo a cair sobre a possibilidade de passar um ano de estudo na China (em sede de 2º ciclo) ou Japão (em sede de 1º ciclo).

Ademais, a presente licenciatura é composta por um corpo docente qualificado, jovem e diligente, cujas áreas de investigação assentam sobretudo no diálogo intercultural que se deve estabelecer entre Portugal e China/Japão. As metodologias de ensino e aprendizagem estimularão o trabalho independente e cooperativo do aluno, permitindo-lhe igualmente o contacto direto com docentes dos países referidos e respetivos métodos de trabalho. Ao longo do ano letivo, serão realizadas algumas conferências e colóquios, com especial destaque para as Jornadas dos Estudos Asiáticos.

O plano curricular da licenciatura tem contribuído para a tornar numa referência na formação no domínio das línguas chinesa e japonesa em Portugal, sendo que o seu principal objetivo é oferecer uma base sólida de capacidades não só linguísticas, mas também sócio-culturais. Preparar-se-á o aluno para aprofundar esta área de estudo em sede de 2º ciclo, que poderá habilitar os alunos para trabalhar nas seguintes áreas profissionais: áreas da tradução e interpretação, à atividade jornalística e editorial, à atividade empresarial, ao marketing e turismo, à consultoria e serviços. No cômputo geral, atividades que exijam competência ao nível das línguas e culturas em questão.

Licenciatura em Estudos Orientais: Estudos Chineses e Japoneses