Departamento

O Leitorado de Chinês e o Centro de Línguas e Culturas Orientais (CLCO) do Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH) da Universidade do Minho desenvolvem as suas atividades desde o ano de 1991. Sendo até 1997 denominado de Centro de Línguas e Culturas Orientais, o Departamento de Estudos Asiáticos (DEA) envolve-se nas atividades de ensino e de investigação no contexto da Sinologia (estudos chineses) e Japanologia (estudos japoneses), promovendo o ensino e a aprendizagem das línguas e culturas dos ditos países na região do Minho.

 

Em 2004, lançou-se a primeira Licenciatura em Estudos Orientais, posteriormente reestruturada em Licenciatura em Línguas e Culturas Orientais (LCO) e, mais recentemente, em Licenciatura em Estudos Orientais: Estudos Chineses e Japoneses (LEO-ECJ). Por sua vez, no ano letivo de 2008/09, foi lançado o Mestrado em Estudos Interculturais Português/Chinês: Tradução, Formação e Comunicação Empresarial (MEIPC). Com duração de dois anos, este Mestrado funciona em articulação com a Licenciatura em Estudos Orientais: Estudos Chineses e Japoneses num regime de 3+2 de acordo com a Declaração de Bolonha, sendo que o primeiro ano é passado na China. No seu conjunto, estes cursos oferecem uma formação interdisciplinar e humanística centrada nas línguas e culturas referidas, especialmente a chinesa.

O Departamento conta ainda com a Biblioteca Fernão Mendes Pinto, localizada no 3º andar da Biblioteca Geral da Universidade do Minho, com mais de 3000 espécies, dicionários e material audiovisual de ensino e pesquisa e em suporte informático. Mais de 1000 destas espécies foram oferecidas pelo Ministério Chinês da Educação. A biblioteca constitui-se não só como um espaço de estudo dos estudantes, mas também, a título de exemplo, de prática de caligrafia na aprendizagem dos caracteres chineses.

O jovem corpo docente é composto por membros ativos da Associação Internacional de Ensino do Chinês e da Associação Europeia de Estudos Chineses, com todas as vantagens em termos de intercâmbio científico e académico. Tais características permitem que, ao longo do ano letivo, sejam realizadas algumas conferências e colóquios, com especial destaque para as Jornadas de Estudos Asiáticos ou a Semana Cultural Japonesa.